26.11.05

Crime "passional" - Horvallis

Achei incrível esse post no blog da Horvallis - Acho que vem bem de encontro com meu post para a blogagem coletiva contra a violência à mulher, que está logo depois.

Crime "passional" - Violência (III)
"O crime passional não existe : o crime é perpetrado em um contexto sexista por homens incapazes de fazer o luto de um relacionamento patologicamente fusional", diz Gérard Lopez, em um artigo publicado na revista Cerveau & Psycho n°12. Ele explica que os autores de crimes ditos "passionais" geralmente não têm problemas psiquiátricos. Que esse crime não é um crime por amor, mas um crime por amor-próprio, ou, mais precisamente o crime de quem falta de amor-próprio, isto é que sofre de precariedade narcissista. E ele lembra : "Não se deve nunca esquecer que o criminal, quer que seja a fraqueza dele, acha nos estereótipos sociais, no sexismo comum, na lei do mais forte, na valorização social da masculinidade e na promoção desenfreada da competição social, as racionalizações que lhe servem para justificar o seu ato."As estatísticas mostram que por comparação a mulher mata muito raramente o companheiro, e que quando ela o faz, é, na maioria dos casos, para proteger a sua família da violência.

9 comentários:

Roberson disse...

Ai, ai, ai, será que vou conseguir inserir um comentário??

Roberson disse...

Alerta vermelho: das icompatibilidades internáuticas, há tempos venho tentando escrever algo aqui e parece que dessa vez vai dar certo. Seu blogger teima em não me aceitar como comentarista.
Bj.

Pat disse...

É puro ciúmes dos seus textos, Roberson. Bem vindo.
Que achou do meu texto "God would have mercy..." Quando voltar me diga. Quero saber sua ilustre opinião.
beijos
pat

k. disse...

estou totalmente de acordo com o texto do post, tanto que ele me fez postar em português um texto que deveria sair em francês no dia 06 de dezembro (http://montrealswinds.blogspot.com/2005/11/para-ele-as-responsveis-da-tragdia-da.html )sobre o massacre de Montreal. Estou de acordo no ponto seguinte: quando um homem mata uma mulher é porque se conscientizou que sua masculinidade não o faz tão superior quanto ele julgava; ele perde, segundo sua própria visão, o contrôle sobre ela e a única forma de reter este contrôle é de la destruir totalmente, corpo e alma. Acho que quando ele chega neste ponto, ele já começou à destruí-la psicologicamente há muito tempo. Ele mata para, no seu inconsciente, tentar 'salvar as aparências", para provar para si mesmo que é o mais forte. E isso mesmo se ele tem que se matar depois, pois é a sobrevivência de sua identidade que está em jogo, porque ele aprendeu à se definir como um ser superior à mulher em geral. Acho que para esse tipo de homem, o simples fato de se apaixonar por uma mulher marca o começo de violência, p/ ele não se sentir subjulgado por ela, porque o seu grande medo é descobrir que ele não é um ser superior às mulheres.
Não querendo me radicalizar nem minimizar a situação, vou pensar mais sobre o assunto, mas acho no momento que o homem que acredita na superioridade masculina só ama mesmo essa pretendida imagem de si mesmo.

Viscondi disse...

Eu odeio violência, qualquer que seja ela. Sou pacifista por natureza e índole. Contra mulheres e crianças mais ainda.

Mani disse...

Pat
Esse texto bate bem com o que encontro no trabalho...parabéns!!beijão!

The Passenger disse...

Oi, Pat. Vim conhecer o seu blog e um pouco de você! Gostei daqui, muita consistência na sua forma de escrever..quem irá voltar serei eu! E se me permitir, vou linká-la, ok? Um abração e ótima semana!

Renato Guimaraes disse...

Olá, Pat, realmente esta definiçao de crime passional é perfeita. Aqui no Peru ainda rola muito crime passional. Nao passa um dia sem noticias nos jornais. Geralmente sao homens que matam as esposas por ciume. Mas tambem volta e meia tem casos de mulheres que matam o(s) filho(s) do casal e se suicidam porque foram abandonadas ou para escapar da violencia.
Enfim, queria te agradecer a visita al Tordesilhas.net. Voce foi das primeiras a deixar um recado por lá. Tomei a liberdade de te incluir na minha lista de favoritos. Estarei sempre por aqui.
Um abracao,
Renato

paulokunha disse...

li seu post 'windows 2006"
fica braba não, tem coisa pior.
o sujeito me liga 5 horas depois dizendo que havia uma mensagem na instalação do software:
press any key to continue
que ele inteligentemente traduziu como : não tenha pressa para continuar.
bjs
paulokunha