12.12.05

Férias 2005

O posts de amigos são mesmo uma inspiração... Lendo o post da Sandra: Profissão Mulher, eu me diverti um bocado. A vida da gente é mesmo assim. Lembrei que estava ansiosa para a chegada das férias da minha filha. EU ia tirar férias da hora do banho, do uniforme passadinho em cima da cama, de estudar junto para as provas, de torcer pelo sucesso nas notas, de correr para a cozinha pontualmente às 11h00 e fazer um almoço gostoso (Isso nunca foi ruim... Adoro cozinhar), de sentar à mesa e cronometrar o tempo “perdido” na refeição...
- Vai filha, come logo.
- Come filha. Estamos atrasadas!
- Anda que ainda tem que escovar os dentes e o cabelo.
- Corre! Cadê o tênis? Pegou o casaco da escola? Vai fazer frio...
Minhas manhãs tão loucas iriam respirar aliviadas. Vou ia poder acordar com calma. Efetivamente trabalhar de manhã. Marcar reuniões com clientes sem o estresse do horário de pegá-la na escola.
Passear mais, nadar mais.
Bom... não sei o que aconteceu. As férias da escola chegaram, mas o meu tempo extra não. Vai ver que ficou perdido entre os livros e cadernos. Vou ter que procurar. Só espero que não tenha repetido de ano.
Ai.... Ai...

Pintura de Claudia Rabello

10 comentários:

Flávia disse...

Fiquei imaginando vc, loucamente procurando o tempo de sobra no meio dos cadernos e trabalhos e toda aquela papelada de final de ano.
Beijoks e boas férias familiares.

paulokunha disse...

isso realmente é uma loucura.sou pai participante e sei como é isso. os meus, 23 e 18 ainda não me dão férias até hoje, é um tal de "pô pai quebra essa pra mim" e "faz esse trabalho. é para amanhã". já parei com o trabalho remunerado, mas com os filhos, sei não.
curta suas férias bastante porque ano que vem tem mais.
bjs a todos.

Viscondi disse...

Ei lindinha, que legal você ter gostado do presente. fico super hiper máxi totalmente feliz.
Quanto às férias dos filhos, eu acho que o trabalho mais do que dobra, pois não temos disponível aquele horário em que eles estão na escola. como levo, a exemplo do paulo, uma vida de pai participativo, este tempo extra dos filhos, no caso de coincidir com as nossas férias, não se torna extra, pois é totalmente absorvido pelas atividades com os filhos. não que isto seja ruim, ante pelo contrário, é a melhor coisa da vida. um dia ainda vou poder ficar 365 dias por ano à disposição deles.
um abraço.

Gaúcho disse...

Não há férias para quem tem filhos. Jamais...Por isso não caso e muito menos procrio..

Abraços!

Sandra disse...

É verdade, anjo.. Eu não dou férias à minha mãe até hoje!! :)

Roberson disse...

O que eu vejo de melhor nas férias dos filhos é que o "clima" em casa na hora do almoço fica mais tranquilo. Não tem aquele stress de criança se arrumando, que vai chegar atrasada... minha filha é tão certinha! Não pode atrasar um minutinho, então ela fica toda preocupada.

Beijão.

Pat disse...

Sabem, adorei ver que o Paulo, Viscondi e Roberson são pais participantes e que curtem mesmo essa experiência. Parabéns meninos!
abraço
pat

Alexandre disse...

Entrei aqui através do ESCRITO EM LETRA DE FORMA e adorei seu blog. Parabéns.

k. disse...

tenho uma saudadezinha do tempo que tinha que acordar, cuidar do café da manhã e levar minha filhota na escola, depois ir buscar. Tenho também saudades de quando só precisava acordar p/ me certificar que ela já tinha se levantado.Agora, ela só vem me dar um beijo à cada manhã, antes de sair.E eu de vez em quando insisto, te levo de carro, quer? Ela agradece e diz que não quer me incomodar e sai toda gloriosa e independente p/ a vida.
Ela me dá férias sim, ainda bem, eu é que de vez em quando tento ser de novo a mãe da infância.

k. disse...

Acabei de ler o comentário da The Passenger...
Não há férias para quem tem filhos. Jamais...Por isso não caso e muito menos procrio..

Vc está enganada. minha filha tem 16 anos e é muitíssimo independente. Se vc não quer procriar só por causa disso, é uma besteira. isso vai depender muito da forma como vc educa seu filho, porque não acho que minha filha seja um caso raríssimo. Eu, como sou independente, eduquei ela p/ ser independente. um abraço.