17.2.06

Mudar de atitude, todo mundo pode.

Todo mundo se lembra da turminha de amigos do bairro. Foi através dela que tivemos nossas melhores experiências. Juntos, éramos invencíveis e tudo o que fazíamos era pura diversão. Mas, quem se lembra do cara chato que sempre jogava areia nas grandes idéias, apresentava toda sorte de dificuldades ou inventava uma desculpa para cair fora? Quase ninguém e isso porque, todo grupo tem um “estraga prazeres” que, no final, acaba sendo afastado, excluído e esquecido pelo grupo.
Encontramo-lo em todo o lugar. É fácil identificá-lo pois ele continua desestimulando qualquer pessoa a introduzir algo novo, estabelecer novas metas, criar novos desafios. Sua palavra de ordem é “de que adianta, no fim do mês o nosso salário é sempre o mesmo” ou “a gente se esforça, se mata e ninguém reconhece”, ou ainda, “só faço o que sou pago para fazer”.
Esse é o sujeito que, invariavelmente, vai passar a vida toda reclamando, reclamando. O que é que se espera de um sujeito assim? Que ele mude de ATITUDE. Que ele assuma uma atitude positiva diante da vida e do trabalho. Que ele reconheça que tudo está ao seu alcance e que só depende dele.
Apesar desse sujeito ser apenas um personagem, todos nós, um momento ou outro, nos comportamos dessa forma negativa. Por isso, precisamos estar alerta para que nossa atitude negativa não leve “por água abaixo” os momentos mais promissores de nossas vidas.
Nas nossas relações pessoais, encontramos, ainda, o sujeito “topa tudo”. Ficamos surpresos como eles tem disposição para assumir mais e mais desafios, estão sempre prontos para ajudar e até se aborrecem quando as coisas ficam meio paradas. O que é que torna eles tão especiais? Não são mais nem menos inteligentes do que qualquer pessoa e, ao contrário do que pensam, não se utilizam de favores especiais para se promoverem. Eles apenas tem uma atitude diferente em relação à vida. Eles são positivos, se empenham e acreditam que tudo está a seu alcance. Eles tem a exata visão de onde querem estar amanhã e vão em busca desse futuro melhor. Estão sempre dispostos a dar o primeiro passo e fazem isso a toda hora e em todo lugar, seja em casa ou no trabalho.
Esse personagem também é parte de nós, mas só está presente nos nossos melhores momentos. É ele que vai nos colocar mais perto do que sonhamos para nossas vidas.

4 comentários:

Flávia disse...

Pat, tenho um colega de trabalho que é bem assim, "Ai não vai dar certo." "Ih, o carro vai atolar e quebrar." "Vc vai ver, vai dar errado..."
Nossa, eu espero diariamente que ele mude, mas atualmente espero que ele mude sim, que mude de emprego logo. hehehe. Já gastei todos os meus cartuchos com ele. Cansei.
Beijos

paulokunha disse...

esses dois personagens estão incluídos em nosso pacote. acho que a gente chega aqui com eles e que dependendo de sua formação e desenvolvimento você acabe por se encontrar em um ou outro. Lamarca sempre findava suas cartas com “ousar lutar, ousar vencer”. eu sempre comecei meus dias com “usar lutar, usar vencer”.é também uma questão de hábito.
To te mandando convite pro Wasabi.
Bj grande

paulokunha disse...

oi pat, voltei.
eu não sei porque mas não consigo tirar da cabeça esse seu post pro Ivan. belíssimo!
bj grande

Pat disse...

Paulo,
Gostei da sua adaptação do slogan de Lamarca. Precisa coragem...

Flavinha,
tem hora que chega. Não é mesmo!