18.2.06

Trabalho e realização

Uma frase, num post do sobre finanças do Amar-ela, um dos blogs mais legais que achei recentemente, me instigou a escrever sobre o Trabalho e a realização.
"Trabalho nunca fez mal a ninguém" é uma frase comum aos nossos ouvidos. No post da Daniela a frase se contrapõem à preguiça. Mas, fiquei pensando... Por que o trabalho precisa ser ruim? Por que tanta gente não gosta do trabalho? O que há de errado com ele? É porque nos paga pouco ou nos consome o dia todo? É porque é pouco criativo ou nos obriga conviver com pessoas de quem não gostamos? É porque o vemos como uma obrigação?
O trabalho deveria ser nossa principal ferramenta para a construção dos nossos sonhos, para a nossa realização pessoal. Deveria ser nosso aliado, algo que nos tira da cama com alegria e disposição.
Sendo assim, o que faz tanta gente dedicar uma vida inteira fazendo o que não gosta? Quando penso em números fico até assustada. A grande maioria das pessoas é infeliz porque, simplesmente, se sentem reféns de suas próprias vidas.
No post a Daniela lembra que algumas pessoas são até felizes com pouco, enquanto outros vivem deprimidos na fartura. Para mim o princípio da felicidade com o muito ou o pouco que se tem, é quando se faz o que se gosta.
Acho que cada um precisa se conhecer e se respeitar. Antes de tudo é preciso se dedicar a si mesmo. Se fizer o que se gosta, o mundo fica mais bonito, você fica mais bonito, mais leve, mais positivo. Tudo flui para te ajudar na construção do seu reino. Se você se sente pleno, vai querer dividir isso com os outros.
Crianças pulam da cama logo cedo, cheios de disposição. Por quê? Porque estão sempre determinadas a preencher seu tempo fazendo coisas de que gostam. Cada novo dia é um dia de grandes oportunidades. Elas vivem para o momento e somente para o momento. Elas sabem intuitivamente que é tudo o que há. Nós sabemos que elas estão certas. Não se pode ser feliz agora vivendo no passado ou no futuro.
Realização é uma necessidade básica, uma reivindicação humanamente justa.
Vale a pena lutar por ela!

9 comentários:

Denise Arcoverde disse...

Eu sempre fui sortuda (ou procurei por isso!), sempre fiz o que gostava, com pessoas interessantes, trabalho smepre foi sinônimo de prazer pra mim (e pouco dinheiro hehehe). Beijoca e bom domingão!

Flávia disse...

OI Pat! Eu amo meu trabalho. Amo mesmo!
Só não pulo da cama! hehehe. Nossa, para isso acontecer, nem sei do que seria necessário. Tenho um sono tão bom, que nem dá vontade de sair de lá.
Mas qdo chego no trabalho, fico feliz e esqueço da vida por lá.
Sempre fui atras do que eu gosto e do que me faz feliz. To nem aí não, e como minha mãe sempre disse: Tudo que a gente faz bem feito e com amor, dá certo. Então é assim que eu faço.

Ah, por falar em trabalho, respondi lá no blog meu mesmo o negócio da aftosa. Ihhhh, menina, se deixar eu fico anos escrevendo sobre isso!
Beijos

Leila disse...

Pat, o problema é que, para a maior parte das pessoas no mundo, trabalho é só um meio penoso de ganhar o sustento para si e a família. Nem todos podem se dar ao luxo de escolher uma carreira satisfatória - incluindo os que fizeram faculdade, porque o mercado é muito restrito. Mas acho que tem a ver com talento e sorte. E é possível amar o seu emprego mesmo que seja uma coisa super simples. O ambiente de trabalho ser agradável, com bons colegas, também ajuda muito. Bjs,

Mauro Castro disse...

Gosto tanto do meu trabalho que, quando estou de folga, escrevo sobre ele. Há Braços!!

paulokunha disse...

tomei algumas decisões bastante radicais pela vida só pra fazer o que gosto, mas paguei por isso. a coisa da grana pesa e muitas vezes a decisão fica difícil. vamuskivamus
bj grande

paulokunha disse...

ajsezoi pat
respondendo a sua pergunta, agora vai ser pauleira. os barcos sairam de Wellington na Nova Zelândia e vem pro Rio. é uma perna perigosa pelos mares do sul com a terrível passagem pelo Cabo Horn. nosso barco tem poucas chances nessa perna, mas depois desta etapa as coisas vão ficar melhores. estamos torcendo!
bj grande

Issana disse...

Seu texto está lindo. Acho que tem toda razão e conseguiu expressar isso, de uma maneira muito feliz...

Beijos!

k. disse...

oi Pat, caí bem aqui, no meio do teu post que explica porque eu estou sumida. Obrigada por ter se lembrado de mim e tomado o teu tempo de ir me puxar...
Estou desaparecida por vários motivos que têm à ver com o assunto do teu post. Tenho um ótimo contrato p/ terminar, super criativo e que foi um presente de Deus e do meu trabalho porque eu escrevi um projeto muito bom e muito bem pesquizado p/ poder conseguir a subvenção necessária, mas por várias razões, muito difícil de ser completado. Por outro lado, o tempo que me sobra, prefiro sair p/ fazer exercícios físicos porque já trabalho demais com o cérebro. Me faço prazer o tempo todo, mas é claro, tenho que encarar uma certa disciplina e muito trabalho, e no meio disso tudo tenho que fazer a escolha de nem olhar meus e-mails, sinão não terei o tempo p/ tomar ar fresco!

Um grande beijo!
K.

Anônimo disse...

que porcaria