9.12.07

Direitos Humanos - Blogagem coletiva



Deixem-me sair!
Eu não fiz nada!
Não sei de nada!


Nesse instante há centenas de crianças e adultos sofrendo pressões, injustiças e perseguições por causa de credo, raça e ideologias estúpidas. Estúpida sim, pois não há crença que justifique a crueldade humana.
Sabemos disso e isso nos dói de tal forma que nos encolhemos, tapamos os ouvidos e nos calamos. Que podemos fazer?
Por hora agradecemos viver num país onde isso não ocorre. Será mesmo? Sabemos que não é bem assim.
Nos morros da pobreza, do tráfico de drogas, da violência, impera essa intolerância e marginalidade, alimentada pelos nobres corruptos do vale encantado. Nos morros, as almas humanas são como gritos mudos e corpos feitos de pó, nada mais. Não valem nada!
Somos pequenos demais para mudar isso, não é mesmo? Aqueles, capazes de se mobilizar e fazer alguma coisa, são talvez de outra composição que não a minha ou sua, porque seres humanos comuns não são capazes de mudar nada.
Penso que hoje isso pode mudar. Nunca a humanidade esteve tão disposta a se indignar por gritos isolados e massas abandonadas a própria sorte.
A comunicação, que evoluiu tremendamente nos últimos 50 nos, é, talvez, a mais eficiente arma disponível para fazer essa mudança. Estamos descobrindo que podemos fazer ouvir cada voz, expressar cada opinião e, com o poder da palavra, derrubar governos, moldar novos costumes, revolucionar a forma de se fazer justiça. Nunca foi tão fácil perder alguns minutos e escrever um manifesto que possa ser lido e ouvido por uma centena de pessoas. Tá certo! Não há milagres, mas é um começo. Quando, através da internet, nos comunicamos com outras pessoas em qualquer lugar do mundo, trocamos idéias, apresentamos nosso ponto de vista, ponderamos as razões de cada lado, começamos a criar um espaço onde mudanças possam gradualmente acontecer.
Para o tirano, o melhor castigo ainda é a exposição e a vergonha pública. Nenhum governante, em seu ego naturalmente inflado, consegue suportar a cobrança internacional. É preciso gritar em uníssono:

Deixem-no livre!
Deixem-no falar!
Respeitem os direitos humanos!

11 comentários:

Anônimo disse...

É verdade que nunca foi tão fácil se comunicar. Tão fácil que acho até que a palavra perde um pouco de sua importância na internet. A leitura sempre é rápida, os textos maiores são rejeitados. Lembra do Padre Vieira, que dizia que tem que semear em terreno fértil? Pois é, acho que o terreno é fundamental. Não basta a semente sozinha. Mas a internet é sem dúvida um veículo mais fácil e abrangente do que os panfletos que a gente distribuia na ditadura e achava que ia mudar o mundo...
Eu ando meio (ou totalmente) desesperançada com as tais mudanças. Tive dois filhos, tratei de criá-los da forma mais libertária que pude. E não me arrependo. Tenho deles o maior orgulho. Muito mais que isso não fiz. Mesmo em anos de militância política e dedicação.
Enfim..!!

maray
www.gardenal.org/checaribe

Renata disse...

Ah, concordo plenamente...uma inciciativa como esta blogagem coletiva é sim uma começo, uma forma de paramos para discutir um asssunto tão importante e a partir daí criarmos ações para mudanças. se cada um entender que direitos humanos não é algo que se carrega num papel e sim no coração, uma grande mudança acontecerá!
parabéns pela participação!

Maria Augusta disse...

Também acho que se temos a Internet que nos oferece um espaço de expressão, devemos usá-lo para uma causa como estas, talvez ninguém leia mas talvez seja "a gota d'água" que vai provocar uma mudança no bom sentido.
Parabéns pelo post!
Um abraço.

Du disse...

Ótimo post, adorei!
Obrigada por sua visita e comentário no meu Norte, seja sempre bem-vinda!

Beijos

Fábio Mayer disse...

O segredo para que o respeito aos direitos humanos seja difundido está, claro, na comunicação.

Mas está mais especificamente dentro de nós mesmos, ensinando nossos filhos e netos, difundindo a idéia, fazendo ela ser comezinha na cabeça dos jovens.

lgresende disse...

Pat:
Você tem razão e não há nada que justifique a crueldade. Por isso é que lutamos pelos direitos humanos.

Ceci disse...

Muito bom foco, a comunicação que nos permite entrar em contato rapidamente com diversas realidades. Se agirmos em consonância com esses contatos, certamente estaremos contribuindo com a melhoria das situações.Abraços

Professor Sergio disse...

Simplesmente seu post sobre direitos humanos é o máximo...realmente neste momento em que debatemos ou escrevemos, quantas pessoas precisam de ajuda, apoio, comida, medicamentos, moradia, alimentação...
vixi é muita coisa...
adorei seu blog Pat...está de parabéns

andre wernner disse...

Prezada Pat,
O que não falta é injustiça nesse mundo – que deveria ser acolhedor, não? – mas, não o é. Parte dos seres que se dizem humanos, mas praticam a violência, a desordem, a corrupção e os maus tratos, como acompanhamos no Pará, dão bem o limite perigoso da linha divisória da sociedade atual.

Na outra ponta os péssimos representantes políticos que usurpam todos os dias o direito do voto do cidadão herdado nas urnas, mas não lhes dá a contrapartida na Casa de Leis também conhecido como Congresso Nacional, que tem se tornado palco de aventureiros e interesseiros de plantão, dos quais, muitos deles já esqueceram as necessidades do pobre eleitor...

A engrenagem do mal vai ampliado os seus poderes corroendo as instituições e matando a esperança do povo. Os direitos humanos todos os dias são pisoteados pôr estes tais que se dizem “otoridade’ representante do povo. E agora, José? Digo, Pat!
Abs

Fernanda disse...

Olá Pat,
obrigada pela sua visita e comentário que me permitiram conhecer o seu espaço, o que foi muito bom!
De facto, muitas vezes me pergunto se não vivo noutro planeta; tanto coisa inacreditável acontece neste planeta, praticado por gente igual a mim, contra gente igual a mim! Não sei se cada vez mais as vozes se levantam, ou se cada vez mais as crueldades vão aumentando, o que sei é que falta amor no planeta Terra! Aceitar o outro, com as suas diferenças e respeitá-lo, nada mais é do que amá-lo.
Boa semana, Pat!

alexandre disse...

Que bom te ver de novo menina...fiquei super feliz em ver seu comentário. Um grande beijo!

http://fabricadehistorias.wordpress.com