9.12.07

Ser mãe é uma dádiva... Sempre!

Uma vez ou mais na vida, o Universo nos convida a tomar parte da Criação. Neste momento, nós, homens e mulheres, percebemos como é fácil gerar uma vida. Apesar da complexidade inerente à própria vida, que chega a levar cientistas de todo o mundo a tentar desvendar o seu mistério, a vida pipoca aqui e ali, quase de maneira espontânea.
No universo humano, tudo começa de forma muito simples. Uma nova vida pode resultar de um sólido casamento, de uma união estável, de um namoro inconseqüente, de uma decisão unilateral, da mais pura paixão e mais vezes do que se imagina, de um risco mal calculado. Aliás, já está mais do que na hora de comunicarmos aos quatro cantos do mundo, que número de gestações não planejadas é muito maior do que se imagina. É só ficar grávida sem querer para descobrir isso. Sem medo de errar, eu diria que a maioria dos habitantes do planeta vieram e continuam a vir sem serem previamente convidados. Pena que esta constatação vem geralmente mais tarde do que deveria e não antes de se passar por momentos de injusto constrangimento, que nos obrigam a estar nos justificando por termos feito tudo “errado”. É uma dor solitária e, digo de todo coração, uma grande perda de tempo. Quando nós mulheres aceitarmos que, nossos filhos amados, em qualquer lugar do mundo, em qualquer circunstância, são na sua maioria, e naturalmente, um presente surpresa, nós nos tornaremos muito mais generosas com nossas próprias almas e com as nossas iguais.
Outra grande verdade é que, se o ser humano já tivesse atingido o grau de solidariedade da qual muitos mestres nos têm ensinado há milênios e, se tivesse garantido, não as mínimas, mas satisfatórias condições de vida para bebes, crianças, adolescentes, jovens casais, pais e avós... a alegria de se descobrir grávida seria um estado natural para toda e qualquer futura mãezinha.
De qualquer forma, a união faz a força e os resultados não tardam por dar sinal da sua graça; uma graça divina, sim, sempre. O milagre da vida é verdadeiramente a manifestação de um poder além da nossa vontade, poder este que vem, humildemente, nos convidar a nos tornar co-criadores com Deus na mais linda obra de que se tem notícia. Só isso já deveria ser suficiente para nos sentirmos exaltados e profundamente abençoados, mas a maternidade é muito, mas muito mais do que isso...

Obrigada Senhor por sua infinita bondade em
dividir com todos nós o ato da Criação!

2 comentários:

Professor Sergio disse...

Pat gostaria de expressar meus sinceros votos de parabéns por este maravilhoso post!
A medida que ia lendo, me coloquei a imaginar que o mundo está cheio de adolescentes que engravidam sem querer, sem planejar e pior, a relação sexual por prazer e não por amor.
Não pretendo ser demagogo neste comentário, mas afirmo com todas as letras: você tem uma maneira de escrever que cativa com visita seu blog...
Carinhoso abraço!Bj

Pat disse...

Sérgio,
Fico agradecida pelos elogios. Gostaria de fazer um comentário. Acredite. Não são apenas adolescentes que são pegas de surpresa. Muita mulher madura se surpreende com uma gravidez não planejada e é por isso mesmo que resolvi escrever sobre isso.
abraço
pat