17.12.08

A vida que eu pedi à Deus!

Se meu mundo fosse perfeito, seria tão bom ser eu! Um mundo perfeito significa uma vida sem sofrimento, sem doenças, sem carências, sem limitações de qualquer espécie. Ah! Ai sim, seria bom viver nesse nosso mundo! Não é mesmo?
Essa é a vida que eu pedi à Deus! Não é o que pensamos quando vemos alguém vivendo a fartura em todos os sentidos?
Haveria uma infinidade de eus querendo viver nessa terra abençoada. Sem sofrimento e sem dor. Sem inimizades ou angustias. Todos viveriam em harmonia e fartura. Quem se lamentaria e diria que a vida é dura ou chegaria ao extremo de dizer que não vale a pena viver.
Nessas condições, concordamos que a vida é uma benção. Por que não seria?

Pois é essa vida que Deus, em sua perfeição, oferece para todos nós. Todos, mesmo! Todos, por todo o planeta. Deus é perfeito, onipresente, onisciente e onipotente. Por isso, não há nele, dor, medo, doença e falta de qualquer natureza. Se Deus é o todo, o único poder, então todo o mal não existe. O mal ou a dissonância é a produção do homem, enquanto ser limitado.

Se pedirmos para uma criança desenhar um homem fará aqueles bonequinhos com dedos de palitos e cara de laranja. Entendemos que a criação dela representa seus próprios limites. Sabemos que ela poderá alcançar o potencial de desenhar com perfeição. Nosso mundo é o retrato do mundo de “crianças espirituais”, com formas irregulares e cheio de imperfeição e insanidades. Sem a mínima chance de chegar perto daquele mundo perfeito que Deus é capaz de provir.

Mas, se formos capazes de viver em Sua plenitude. Permitir que a consciência de Deus seja a nossa consciência. Se reconhecermos que somos a Presença Divina, que somos Deus Manifesto, que todos nós somos um, então, esse mundo perfeito pode ser real para nós.
Ele habita o meu ser e eu sou uma extensão Dele, como uma onda está no oceano e é o oceano. Joel Goldsmith já dizia “Não existe carência em Deus! É da natureza de Deus o preenchimento.” Só precisamos romper a crosta que nos separa dele, em nossas consciências, e viver verdadeiramente essa abundância.

Essa é a lição de vida que eu quero incorporar nesse Natal e no ano que se inicia.

Feliz Natal para todos!

Um comentário:

alexandre disse...

Olá patrícia...não sei se você ainda lembra de mim (Alexandre - Fábrica de Histórias)...pois é...fiquei afastado por um longo tempo e estou voltando...e feliz por te encontrar. meu novo blog é este aqui do link!!!!

Bjs