15.8.06

O DEBATE NA BAND

Nunca imaginei que me divertiria tanto ouvindo um debate de presidenciáveis. Além de boas risadas e identificação com propostas, fiquei agradavelmente surpresa com o nível do debate. O que mudou depois do debate?
Em primeiro lugar adorei as alfinetadas dirigidas ao Lula pela sua ausência. Acho que ele não tinha o direito de faltar. Ele é candidato, não é... O segundo mandato não é automático. Há muita coisa para ser esclarecida neste país de robalheira. Quem votou nele está decepcionado com a cara do PT e, quer ele queira ou não, quer tenha conhecimento ou não, ele é responsável. Ele mereceu cada piada. Ninguém quer um presidente covarde.
Agora, minha opinião sobre alguns candidatos.

Geraldo Alckmin: Acho que é quem tem melhor competência gerencial para exercer a presidência e isso é importante. Num mundo globalizado é preciso ter um presidente de nível compatível com o mundo lá fora. O grande pecado no debate foi não responder as questões. Acho que foi um grande erro usar o debate para apresentar planos de governo... O tempo era curto e tudo ficou solto no ar. Aquela chuva de palavras chaves: emprego, combate à corrupção, ao narcotráfico, segurança, saúde. Tudo solto sem dizer COMO. É claro que é complexo, mas os outros candidatos tinham alguns exemplos concretos para dar. Ele ficou em cima do muro como quem quer agradar todo mundo. Não se posicionou a nada e não mostrou a alma. ALMA; era isso que a gente quer ver num debate cara-a-cara. Por isso que ele continua a ser chamado de CHUCHU, sem gosto.

Heloisa Helena: Ah! Se eu já não tivesse errado antes, era nela que eu ia votar. Se já não tivesse aprendido que voto para presidente não é para jogar fora... Hoje tenho vergonha do meu presidente tupiniquim, do meu presidente covarde. Se eu pudesse me dar ao luxo de arriscar de novo... Ela é a cara da alma brasileira, viva, presente, indignada como cada um de nós. Foi a primeira a dizer verdades absolutas. Bom seria se pudéssemos votar nela para AUDITORA PRESIDENCIAL. O ombudsman da nação. Com poder de impedir a robalheira política e o lucro desproporcional de segmentos da economia. Os lucros dos bancos é mesmo uma vergonha. Em nenhuma gestão política eles ganharam tanto como no governo do PT.... JUSTO DO PT! Na última eleição eu queria um governo para o povo. Agora quero um governo para o futuro.

Cristovam Buarque: Que palavras sábias... Todo mundo sabe que a mudança real passa TOTALMENTE pela educação. Bastariam 8 anos para que crianças que começassem o ensino fundamental chegassem aos 15 anos com a convicção do que querem na vida. Com uma boa formação esses jovens já não seriam os abobalhados que somos hoje. Bastariam apenas 8 anos para dar o primeiro passo verdadeiramente importante. Como qualquer brasileiro, sou ruim de memória. Envergonho-me disso e tento ser mais perspicaz. Bom, de qualquer forma, dos últimos fatos históricos de que me lembro nós já jogamos foram bem os últimos 10 anos. Fora o Plano Real não fizemos nada de concreto para melhorar a vida neste país.
Como no caso da Heloísa, por melhor que eles sejam, será que tenho coragem de arriscar mais uma eleição? Fiz merda da última vez.

Esses três são meus favoritos. Não gosto do Alckmin, mas parece ter experiência. Será que preciso gostar do meu presidente? Ou, basta que ele seja competente. Gostei muito de conhecer melhor o Cristovam e a Heloisa, mas será que eles saberiam, mesmo, lidar com todos os problemas e a intrincada rede de relações e favores que ainda existem?

José Maria Eymael e Luciano Bivar fazem o estilo velho mundo. Aquela conversa de que são os possíveis salvadores da pátria. Mas há pontos a favor. Pelo menos eles mostraram a alma, coisa que o Alckmin não fez. Responderam as perguntas, coisa que, também, o Alckmin não fez. Se o Alckmin não concorda comigo devia ver de novo o debate... Também falaram de coisas que a gente costuma esquecer, mas que mostra qual o retrato do BRASIL REAL. Se eles não têm chance de vencer, podem pelo menos, abrir nossos olhos.

Para finalizar... Parabéns para a Bandeirantes.