15.12.05

Solidariedade: A mais bela face do ser humano



Há dois momentos mágicos na vida em que podemos ser profundamente tocados e que nos fazem acordar para as coisas que verdadeiramente importam.
Um desses grandes momentos acontece quando temos a oportunidade de ajudar alguém. Somos muitas vezes surpreendidos com o bem estar, quase que inexplicável, que vem ao nosso encontro quando resolvemos socorrer outra pessoa. Tudo fica mais bonito e nos sentimos leves, de bem com nós mesmos e com a nossa posição no mundo.
O outro grande momento, nós o vivemos quando temos a oportunidade de estar do outro lado dessa experiência. Quando alguém estende seus braços, de onde menos esperamos, para nos ajudar. É um momento difícil porque estamos vulneráveis, mas, descobrir que não estamos só é um agradável sentimento que nos conforta a dor. É como um milagre que vem, especialmente, bater à nossa porta.
Nessas ocasiões, é comum dizer ou escutar, que não há palavras para agradecer, mas nem é preciso, pois quem dá e recebe ajuda vive uma emoção que tem valor em si mesma.
A solidariedade aproxima os homens e dá sentido á vida.

8 comentários:

paulokunha disse...

realmente, são momentos mágicos. minha vida de 55 anos foi um lá e cá nesses momentos, mais lá do que cá, graças a deus.
bjs

Viscondi disse...

A solidariedade pode ser a solução para o mundo. pena que os que realmente poderiam ser solidários, por ofício ou por prazer, não praticam, antes, fazem questão de não praticarem. a ganância e o egocentrismo ainda vai destriur a humanidade.

Karol Hedy disse...

Olá! Faz um tempão que eu não acesso mais a net, meu blog, coitado andou meio abandonado, mas o que me deixa feliz é poder retornar e me sensibilizar com este seu post à respeito da solidariedade. Um grande abraço!

tresporquatro disse...

A raridade com que se pratica a solidariedade me choca. E de pensar que frequentemenete faz-se muito com muito pouco, e ainda assim poucos se movimentam. E não digo apenas dos grandes casos - ou ocasos - da humanidade. Falo até mesmo da pessoa ao lado, da pequena coisa, do "olá" ao gari quase invisível, do "bom dia" ao cobrador do ônibus, do pequeno afago em um amigo, só mesmo para fazê-lo saber que você está ali... é já um grande começo.

Marcelo Orlando disse...

Olá Pat!!!!

primeiramente, obrigado pela visita!!!!!
Quanto rosa!! Uma mulher romântica, eu presumo!! Você tem um belo espaço.... retorno certo.... abços...

Flávia disse...

OI Pat. Ótima sua reflexão. Nunca tinha parado para pensar dessa forma. Adoro ajudar as pessoas, me amarro mesmo. Mas nunca tinha pensado em como é legal quando alguém pára e presta atenção na gente! E estica uma mãozinha para te tirar do baixo astral. Realmente é muito bom ser ajudado também.
Beijoks

Pat disse...

Na visão geral de amigos que aqui postaram seu comentário, a solidariedade tem sido algo muito escasso. Sou obrigada a concordar em função do saldo negativo da humanidade. Mas acretido que podemos mudar isso. Um olá, como lembra Tresporquatro, já é um bom começo.
Karol, ficamos com saudades!
Marcelo, obrigada pela visita. Pinkareta é mesmo bem cor-de-rosa, porque é assim que eu gostaria de ver o mundo: mais leve, mais gostoso e mais romântico. Qualidades que eu quero aprimorar em mim mesma.
Flavia, foi mesmo para mim uma grande descoberta perceber que quando permitimos que sejamos ajudados, estamos possibilitando uma sensação de bem estar para quem nos ajuda. A tendência natural é recusar ajuda, ou sentir-se envergonhado por aceitar.

Mauro Castro disse...

Tri bonito o teu blog, textos luminosos e diretos, gente bacana comentando... há braços!!